Então é Natal! Que tal presentear com amor?

O ano está quase acabando, amanhã já é a véspera do Natal. Dezembro tem magia, emoção, solidariedade e mais amor, mas o mesmo tempo, é uma corrida contra o tempo. De repente viramos todos o Coelho, da Alice no País das Maravilhas, correndo desesperados atrás do tempo e achando que não vai dar tempo, que estamos atrasados.

As vezes parece que o mundo vai acabar amanhã e não que é a comemoração de aniversário de um Ser Especial, aquele que é o Filho de Deus e que veio ao mundo para nos ensinar sobre Amor, Perdão, Doação. Corremos tanto tentando encontrar mil pessoas que mal falamos ao longo do ano, comprando presentes e movimentando a economia. Chega na véspera ou no dia de Natal e estamos acabados, estressados, trocamos presentes, mas será que doamos amor e perdão?

Este texto até poderia se chamar: Porque não escrevo sobre sugestões de presentes para o Natal ou qualquer outra data do calendário promocional do varejo. É lógico que eu gosto de dar e receber presentes, mas na minha família crescemos dando e recebendo presentes quando o coração guiava e não seguindo o calendário. Tipo vi algo que meu pai gosta e compro pra ele, não interessa se é Festas de Final de Ano, Dia dos Pais ou seu aniversário. É uma forma sublime de dizer: eu lembrei de você! Eu amo você.

Fomos ensinados em casa a doar amor e tempo para aqueles que convivem conosco. E os Natais da minha infância eram memoráveis na casa que morava, com minha mãe recebendo a grande família árabe e seus agregados, além de alguns amigos chegados. Era festa, mas era transbordamento de amor. Hoje minha mãe continua recebendo no ap alguns familiares e amigos (em quantidade bem menor) e na minha casa ainda é o amor que impera na data mesmo com Papai Noel entregando os presentes.

Este  ano em especial temos um Natal com uma poderosa lua em Peixes (segundo dizem Cristo era de Peixes) que nos torna mais sentimentais e prontos para o perdão. E o que isto tem a ver com presentes?

Quantas vezes compramos presentes, mas não gostamos da pessoa, convivemos socialmente mas não perdoamos alguma falha do outro. Estamos na festa, mas nossa alma e nosso coração não estão presentes! Será que era isto que o Cristo queria para celebrar seu aniversário? O menino que nasceu em uma manjedoura, com animais ao redor.

Não! Cristo não se importaria com presentes vazios de sentimentos. E é por isto que não gosto de sugerir presentes, apesar de ser sim uma pessoa que consome – tento consumir de maneira consciente, mas sou consumista sim.

Tenho uma visão muito especial do Jesus Cristo, filho de Deus e da Deusa. Para mim o Filho de Deus, uma das pontas da Santíssima Trindade, foi o primeiro revolucionário, hippie, defensor dos fracos e oprimidos, um refugiado – já que nasceu quando seus pais fugiam para um local mais seguro para seu nascimento. E seu maior ensinamento foi calcado no Amor e no Perdão. Só perdoa quem é capaz de amar. Amor é tudo e mais um pouco, minha gente! Amai ao próximo como a ti mesmo!

Então que tal neste Natal espalhar Amor, Perdão, Cordialidade, Paz e Harmonia ao invés de presentes vazios?

Sejamos todos Amor! Sejamos todos as ovelhas do Cristo Redentor, aquele que veio para nos salvar da perdição. Aquele que veio pregar amor e tolerância. Andamos todos precisados é de Amor, de Perdão, Respeito e Tolerância! Que venha o Natal e a celebração do Cristo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *