Feed Dog Brasil acontece em São Paulo de 21 a 27 de setembro

Setembro é sempre um mês importante na moda, principalmente fora do Brasil já que as principais semanas de moda do mundo acontecem em setembro e não é que o Brasil também terá um evento bacana, em setembro? E não é semana de desfiles, não! (amo, afinal nasci em setembro!)

Entre os dias 21 e 27 de setembro acontece o FEED DOG BRASIL – Festival Internacional de Documentários de Moda, na Cinemateca Brasileira, com entrada gratuita.

A abertura (para convidados) será amanhã, quarta-feira 20/09, com a exibição do filme inédito The First Monday in Maydirigido por Andrew Rossi, sobre o prestigiado Baile de gala do MET 2015.

Com curadoria da documentarista e jornalista Flavia Guerra, a primeira edição do Feed Dog Brasil  conta  com um total de 13 títulos nacionais e internacionais dos mais diversos temas que envolvem o mundo da moda, do luxo ao comportamento, da sustentabilidade às relações de trabalho, sem esquecer peças que são ícones de estilo. Debates, oficinas e exposição com fotos do acervo da agência Fotosite, que traçam um diálogo com os filmes em exibição, completam a programação.

 

FEED DOG é mais uma parceria entre os idealizadores do In-Edit Barcelona e os produtores do In-Edit Brasil, Festival de Documentários Musicais. O festival nasceu em 2015 em Barcelona, na Espanha, com o objetivo de fomentar documentários que retratam o fascinante e complexo mundo da moda como arte, comportamento e expressão cultural.

 

Esta será a primeira edição internacional do festival, que deve seguir os mesmos passos do In-Edit Brasil, realizado em São Paulo desde 2009, com sucesso de público e crítica. A realização é da In Brasil Cultural, da Secretaria de Estado da Cultura e do Governo do Estado de São Paulo, com patrocínio exclusivo da Riachuelo.

 

Sessão de Abertura

 

Inédito no BrasilThe First Monday in May é a atração de abertura do Feed Dog Brasil – Festival Internacional de Documentários de Moda. A sessão especial para convidados acontece no dia 20 de setembro, quarta-feira, às 19h30, na Cinemateca Brasileira (Largo Sen. Raul Cardoso, 207 – Vila Clementino).

 

Dirigido por Andrew Rossi (de “Page One: Inside the New York Times”), o longa desvenda um dos maiores eventos fashion do circuito internacional, o celebrado Baile de gala do MET, realizado anualmente pelo The Metropolitan Museum of Art, em Nova York.

 

O cineasta acompanhou a preparação da edição de 2015, que foi idealizada e conduzida por Andrew Bolton, diretor do departamento de moda do museu (The Costume Institute), e Anna Wintour, editora-chefe da Vogue americana, que teve como tema “China: Through the Looking Glass”, destacando e discutindo a moda chinesa e sua influência para o universo fashion e para o cinema – a direção de arte do evento foi assinada pelo aclamado cineasta chinês Wong Kar-Wai.

 

O filme mostra detalhes de produção como questões orçamentárias, viagens à China, coletivas de imprensa, a escolha das peças para a exposição, que contou com o apoio do Departamento de Arte Asiática do Met, até a disposição dos convidados nas mesas para a noite da grande festa.

 

O badalado tapete vermelho contou com a presença de celebridades, estilistas, autoridades e importantes nomes da indústria da moda como Beyoncé, Lady Gaga, George Clooney, Miley Cyrus, Madonna, Sarah Jessica Parker, Bradley Cooper, entre outros, com seus trajes de gala inspirados no tema da festa. A cantora Rihanna, que foi a grande estrela da noite com um exótico vestido feito à mão durante dois anos pela estilista chinesa Guo Pei, se apresentou no evento.

 

Nomes como John Galliano, Jean Paul Gaultier e Karl Lagerfeld, relatam a importância do evento para o mundo da moda. O baile é muito mais que uma grande festa, é a oportunidade para se arrecadar verba para manter o acervo de moda e vestuário do museu, um dos mais importantes do mundo. Nesta edição, o evento chegou a arrecadar 12,5 milhões de dólares.

 

Mostra Internacional

 

Confirmado na programação, o longa Mapplethorpe: Look At The Pictures, de Fenton Bailey e Randy Barbato, faz uma análise do trabalho do fotógrafo Robert Mapplethorpe, um dos mais provocativos, criativos, chocantes e importantes artistas do século 20 que quebrou paradigmas e levou a fotografia, até então desprezada como ‘arte menor’, ao patamar de arte que não só é digna de integrar as coleções e museus de arte mais prestigiados do mundo (como o Guggenheim Museum de Nova York) quanto ser vendida a milhares de dólares. Em 1998, quase uma década depois de sua morte, o acervo de Mapplethorpe foi avaliado em 228 milhões de dólares.

 

O filme se debruça sobre os muitos processos de reinvenção do artista. A vida, repleta de altos e baixos, polêmica, sexo, amor, erotismo, arte, som, ousadia, excessos, beleza e dificuldades que Look at the Pictures traz. Sem concessões, sem receio de revelar as nuances da personalidade e do trabalho deste grande artista, que mudou não só a maneira como o mundo vê a fotografia, mas influenciou e influencia gerações de fotógrafos pelo mundo, inclusive, e talvez principalmente, os fotógrafos de moda.

 

Inédito no Brasil, o documentário Bangaologia – The Science of Style, do angolano Coréon Dú, faz um colorido panorama da Bangaologia, suas origens, sua influência na moda e no estilo do mundo contemporâneo, que extrapola os limites de sua África natal e ganha adeptos na Europa, nos Estados Unidos e em outros continentes. Como diz um dos entrevistados do longa, “Um Bangão é sempre Bangão.” Mas o que é ser um Bangão? O que é a energia, a essência e o ingrediente africano que inspiram tanto criadores de arte, de moda e estilo quanto músicos e apaixonados pela Banga? Além de buscar respostas, Coréon Dú quebra conceitos pré-concebidos sobre a cultura e a moda africana e traz um olhar interessado e autêntico sobre a África atual e multifacetada.

 

Além de cineasta, Coréon Dú é músico, produtor cultural, designer, artista plástico, entre outras funções sempre ligadas ao mercado cultural e à moda. Uma das mais proeminentes personalidades do mercado criativo africano atual, foi eleito o Homem do Ano do Angola Fashion Awards 2015. Corén Dú também criou, em 2014, a grife WeDú e dirigiu o documentário I Love Kuduro, também em 2014. Bangaologia já integrou a programação de diversos festivais pelo mundo e recebeu a Menção Honrosa no Indie Fest Film Awards 2017 e foi indicado a Melhor Documentário do London Fashion Film Festival 2016.

 

Outro título inédito no Brasil, o longa Borsalino City, é uma declaração de amor a um grande ícone da moda: o chapéu Borsalino, que ganhou fama e se tornou acessório obrigatório graças ao cinema. Foi na Era de Ouro de Hollywood que astros como Humprey Bogart, que o usou no clássico Casablanca, tornaram o item, criado pelo italiano Giusppe Borsalino, um objeto imortal, que faz parte do imaginário e do guarda-roupa de homens e mulheres em todo o mundo.

Além de contar a história da empresa que já foi uma das maiores da Itália, o documentário dirigido por Enrica Viola também investiga como o chapéu faz parte não só da história da moda, mas também do cinema. Para isso, a diretora aborda desde sua presença nos primeiros filmes realizados pelos irmãos Lumière no final do século 19 até a atualidade, sem esquecer dos filmes de gangster e de ícones como Alain Delon, Jean Paul Belmondo, Charlie Chaplin, o já citado Bogart e até Leonardo Di Caprio.

 

“Borsalino City” traz ainda momentos raros, como o em que o ator e diretor Robert Redford conta como conseguiu comprar o histórico Borsalino que Marcello Mastroianni usou em “La Dolce Vita”, clássico de Federico Fellini. Criado especialmente para que Mastroianni compusesse com ele o personagem Paparazzo no longa, o acessório hoje é usado por Redford, fã confesso dos chapéus criados por Giuseppe.

 

O longa Out of Fashion, de Jaak Kilmi e Lennart Laberenz, inédito no Brasil, revela o desperdício e os impactos ambientais e sociais da indústria da moda. É por meio da jornada da estilista Reet Aus que o espectador entende que o jeans que se compra em uma loja na Europa contém não só produtos tóxicos em sua composição mas carrega também um histórico de desperdício, agressões ao meio ambiente e uma cadeia produtiva nada sustentável.

 

Mas Reet, que há mais de 15 anos possui uma grife com a qual trabalha com upcycling, fazendo de resíduos materiais que a indústria joga fora sua matéria-prima, tem um plano. Ela quer convencer as grandes corporações a também trabalhar com o upcycling e, assim, diminuir o desperdício no mundo todo. Para isso, Reet viaja desde a Estônia, onde vive, até Bangladesh, onde visita a confecção que fabricou a calça jeans que ela comprou na Europa.

 

Dirigido por Loïc Prigent, Le testament d’Alexander McQueen (inédito no Brasil), mostra o legado de um dos mais influentes e emblemáticos criadores contemporâneos do mundo da moda, o estilista Alexander McQueen. Sua trajetória brilhante e seu trabalho único foram tão impactantes para a história da moda contemporânea quanto sua morte abrupta, em fevereiro de 2010. Quando um gênio como ele decide deixar a vida, a surpresa e a tristeza são inevitáveis e persistem até hoje. No entanto, seu legado permanece e vai continuar influenciando gerações de artistas, estilistas, criadores e até consumidores. McQueen cresceu no subúrbio de Londres e soube como ninguém aliar suas referências de uma infância simples aos grandes símbolos e referências da arte e do mundo fashion.

 

Já o clássico “Model”, de Frederick Wiseman, um dos maiores documentaristas da história, acompanha o cotidiano de uma agência de modelos de elite do Upper East Side de Manhattan. Lançado em 1980 e rodado em preto-e-branco, o filme revela os bastidores de uma das facetas mais sedutoras e complexas do mundo fashion.

 

A direção precisa de Wiseman – que recebeu um Oscar Honorário em 2016 em reconhecimento à sua carreira e sua importância para o cinema e um Leão de Ouro em 2014, também em reconhecimento à sua carreira – faz com que o espectador sinta como era a vida das modelos. Os testes rigorosos, os padrões exigidos, as jornadas exaustivas de ensaios fotográficos, a luta para ter um bom portfólio e encontrar seu espaço em uma profissão competitiva e muitas vezes solitária.

 

O documentário Vivienne Westwood: Do It Yourself!, de Letmiya Sztalryd, revela uma pequena parte da história que a estilista Vivienne Westwood vem contando e inventando no mundo da moda e do comportamento desde os anos 1970, quando se tornou uma das grandes mentes criativas do movimento punk, ao lado do então seu marido Malcolm McLaren, na época à frente do Sex Pistols, até se tornar um ícone fashion em todo mundo.

Além de seguir a estilista e Andreas Kronthaler, seu marido e braço direito e diretor criativo da marca, e os preparativos para o lançamento da coleção Do It Yourself, o filme também revela cenas exclusivas da vida de Vivienne.

 

A trajetória de um dos maiores ícones da fotografia, que quebrou tabus e paradigmas, está no documentário Helmut Newton: Frames From the Edge, do diretor Adrian Maben (Pink Floyd, Live at Pompeii, 1972). O fotógrafo alemão naturalizado australiano, falecido em 2004, tinha o delicado cuidado de demonstrar a beleza da mulher em diversas formas. Provocativa, a fotografia de Newton é marcada pela sensualidade da figura feminina. Seu trabalho autoral ajudou a introduzir o nu em diversas publicações de moda e a definir os padrões de beleza do Século 20.

 

Ainda na programação, o curta The Perfect Fit, de Tali Yankelevich. Um olhar íntimo sobre o mundo do balé profissional visto através dos olhos de um apaixonante sapateiro, responsável por fazer artesanalmente cada sapatilha. Enquanto ele tenta aliviar a dor das bailarinas, suas mãos carregam o peso de seu ofício. Por detrás deste cenário encontra-se um universo ainda pouco explorado de dois personagens que não se conhecem, uma bailarina e um sapateiro, mas que estão conectados por um par de sapatos. O curta foi pré-finalista do Oscar em 2013.

 

Mostra Nacional

 

Na seleção brasileira da programação, o filme Deixa na Régua acompanha o dia a dia das barbearias da Zona Norte do Rio de Janeiro para revelar como o novo jovem brasileiro se relaciona com a beleza, a moda, a vaidade e mantém suas relações de amizade.

O diretor Emílio Domingos retrata como passar o dia no salão é um momento importante da vida dos jovens das comunidades cariocas e dos barbeiros Belo (Vila da Penha), Ed ( Morro da Caixa d’Água) e Deivão (Piabetá, Magé), que comandam os trabalhos e criam os mais diversos cortes e desenhos artísticos.

 

“Deixa na Régua” é o segundo longa da “Trilogia do Corpo” que Domingos está realizando e que começou com “A Batalha do Passinho” (que retrata os concursos de funk no Rio, melhor filme na Mostra Novos Rumos do Festival do Rio de 2012).

 

O documentário Fora do Figurino – As Medidas do Jeitinho Brasileiro, de Paulo Pélico, aborda a questão do levantamento antropométrico, estudo científico realizado periodicamente nos países desenvolvidos para manter atualizado um banco de dados sobre as medidas corpóreas da sua população, referências indispensáveis na indústria para fabricação de produtos. No Brasil, tal estudo jamais foi realizado.

O resultado é um incômodo descompasso entre a população e o meio que a cerca, gerando enormes dificuldades no cotidiano das pessoas, consequências negativas na economia e até problemas de saúde pública. Além, é claro, de uma coleção de situações insólitas com certa comicidade involuntária.

 

Distante do glamour das passarelas, o documentário Idades da Moda, de Marcelo Machado e Gilmar Moretti, traça o perfil da moda infantil brasileira dos últimos 50 anos a partir de entrevistas captadas em quatro estados: Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo e Ceará. São estilistas, estudantes, fotógrafos, professores, historiadores, costureiras e consumidores que propiciam novos entendimentos do universo da moda infantil, traçando um panorama das últimas cinco décadas. Idades da Moda é um documentário investigativo de caráter humano destinado aos interessados em moda e comportamento no Brasil contemporâneo.

 

Exposição – “Universo FEED DOG pelo olhar FOTOSITE”

“Mais de 2 milhões de fotos das passarelas, backstages e das ruas, registradas durante 17 anos pela Agência Fotosite, constituem um dos mais importantes acervos fotográficos da moda brasileira. Quarenta imagens selecionadas desta biblioteca digital estão na exposição “Universo FEED DOG pelo olhar FOTOSITE“. O conceito de alinhavar cinema com passarela explora a realidade e o lúdico em torno da moda, além de fortalecer os movimentos comportamentais como influenciadores de qualquer forma de arte.”

 

É com esta declaração precisa que a curadora da exposição “Universo FEED DOG pelo olhar FOTOSITE”, a jornalista e diretora criativa Jussara Romão, define o conceito geral da exposição, que acontece durante todo o evento no Foyer da Sala BNDES da Cinemateca Brasileira.

A escolha se deu com base no acervo de imagens clicadas pela Agência Fotosite ao longo de quase duas décadas em eventos e semanas de moda em todo o Brasil. A exposição dialoga diretamente com a curadoria do Feed Dog Brasil e com a visão de que a moda se comunica constantemente com as movimentações culturais, sociais, comportamentais e políticas do mundo.

 

Para tanto, a curadora da exposição selecionou entre 2,3 milhões de fotos as imagens que melhor representam o universo Feed Dog mantendo sempre o Olhar Fotosite sobre elas. Estas fotos foram, então, separadas em grupos que se comunicam com as vertentes e assuntos abordados pelos filmes selecionados, como a moda e a cultura africana de Bangaologia, a contestação e a revolução comportamental de Vivienne Westwood – Do It Yourself e deLe Testament d’Alexander McQueen, além da ousadia de Mapplethorpe – Look at the Pictures e Helmut Newton: Frames From The Edge.

 

“O convite do fotógrafo Marcelo Soubhiadiretor e sócio do site, me levou a um desafio interessante. A primeira linha de apoio foi que a foto me remetesse ao universo dos documentários que compõem a seleção do Feed Dog Brasil. A imagem que refletisse o universo de um dos documentários, eu escolhia”, conta Jussara Romão.

 

 

Debates – A Moda em 360 graus

 

Atenta às transformações que a moda provocou e sofreu ao longo de sua história e, principalmente aos desafios que encontra no mundo contemporâneo, a programação do Feed Dog Brasil também vai contar com um ciclo de debates que discutem as questões históricas e atuais do universo fashion, desde seus impactos culturais até ambientais, passando pelos comportamentais e de estilo.

 

Abrindo a programação, no dia 21/09, quinta, às 19h, a mesa “Todo Mundo É Fashion – A Moda do Futuro e o Futuro da Moda” vai debater as revoluções contemporâneas da moda, desde a quebra de padrões de beleza, comportamento, gênero, estilo, até as novas tendências que celebram a diversidade e a moda de fato para todos.

 

Para discutir as várias vertentes da democratização da moda, integram a mesa Paulo Borges, idealizador e coordenador da SPFW, maior evento de moda da América Latina; Daniela Auler, graduada pela Universidade Anhembi Morumbi e especialista em responsabilidade social e sustentabilidade pela FVG e Idealizadora do Projeto Moda Inclusiva na Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência; Alberto Hiar, diretor criativo da Cavalera, e Marcella Kanner, graduada em Moda pelo SENAC e diretora de marketing da Riachuelo. A mediação fica a cargo de Flavia Guerra.

 

Já o debate “Sustentabilidade e Responsabilidade Social estão na Moda?” discute os rumos que a indústria e o mercado da moda têm traçado para criar produtos, meios e métodos de produção socialmente e ambientalmente responsáveis e sustentáveis, na sexta-feira, 22/09, às 19h. Hoje há uma preocupação pela sustentabilidade, pelo reaproveitamento de materiais e há também uma exigência do consumidor pela transparência das empresas. O que este movimento traz de mudança tanto para a produção da moda quanto para o estilo?

 

As relações de produção e de trabalho no universo da moda também serão debatidos. As iniciativas e criações que são fashion e também propõem mudanças ganham destaque e entram em pauta na discussão, como o upcycling, o trabalho com materiais não convencionais, entre outros.

 

Participam do debate a jornalista e professora de moda Juliana Lopes e a consultora Fernanda Ferraz, do Samaúma – Gestão para a Sustentabilidade. A mediação do debate fica a cargo de Jussara Romão, jornalista e organizadora do Fashion Tech Brasil, evento que estimula a cultura do empreendedorismo e da inovação no mercado de moda.

 

Encerrando o ciclo de discussões, no sábado, 23/09, às 16h, ocorre a mesa “Cinema e Moda – Uma Relação ao Longo da História”, que debate a relação do universo da moda com a sétima arte. Mais que contar com figurinos criados por grandes estilistas, o cinema sempre teve uma relação dinâmica com a moda, seja refletindo e incorporando as tendências e mudanças ocorridas na sociedade, seja também influenciando a própria moda. Participam da mesa o professor e historiador de moda João Braga, o estilista, ator, figurinista e diretor Fause Haten e a programadora do CineSesc, Simone Yunes. Mediação, Flavia Guerra.

 

OFICINAS E ATIVIDADES

 

Mantendo o olhar 360 graus sobre a moda, o Feed Dog Brasil também organiza workshops e atividades que vão ocorrer no Foyer da Sala BNDES da Cinemateca Brasileira.

 

A oficina “Costura Desconstruída” será ministrada pela designer artesanal e jornalista Luciana Pareja Norbiato, nos dias 23 e 24 de setembro, das 15h às 19h30. Já o workshop ‘O Processo Criativo do Vestir’, ministrado pela estilista Lena Santana, sobre a técnica de Moulage, acontece nos dias 22, 23 e 24 de setembro das 10h às 17h.

 

Costura Desconstruída – com Luciana Pareja Norbiato

23 e 24 de setembro, das 15h às 19h30 – inscrição gratuita no local.

Luciana Pareja Norbiato propõe uma nova maneira de criar e pensar o vestuário. Com um pé na sustentabilidade e tendo o upcycling em perspectiva, parte-se de peças industrializadas para ressignificá-las pela costura manual. Ao desmontar e transformar as roupas em uma nova vestimenta, o aluno transforma também seu olhar sobre beleza, funcionalidade e conforto. O modelo industrial é substituído por um vestir autoral e expressivo. Vamos criar roupas com a nossa cara?

 

O Processo Criativo do Vestir – com a estilista Lena Santana

22, 23 e 24 de setembro (sexta a domingo), das 10h às 17h – Inscrição gratuita pelo site

Moulage é a técnica de criação do molde no próprio manequim, em que o desenho da roupa é construído no espaço tridimensional, para depois ser traduzido em um modelo-piloto. Por meio de exercícios práticos, o aluno vai aprender essa etapa do processo de confecção de vestuário e criar a base de uma peça, que será transposta em uma peça-piloto. “Moulage é uma atividade em que, a partir do manequim, podemos explorar formas, profundidade, fluidez, materiais. É uma forma instantânea de criar”, comenta a estilista.

 

Para Lena, trabalhar com o molde plano é muito mais difícil e menos versátil. “Ele é matemático, quase como uma especulação. O moulage nos dá muito mais chances de criar, de inventar peças. A margem de erro também é praticamente inexistente, pois a gente sabe exatamente que peça está criando. A margem de erro do molde plano é de 30% enquanto no moulage é de cerca de 5% ou menos. E há pences que podemos brincar com eles e transformá-los em um detalhe no pescoço, em detalhes que dão beleza às peças, muito mais do que ter apenas uma função”.

(Vagas limitadas. Inscrição sujeita à lotação).

 

 

Barbearia Cavalera

23 e 24 de setembro (sábado e domingo) das 16h às 20h

 

A Barbearia Cavalera une a tradição das barbearias clássicas ao mundo contemporâneo, onde cortar o cabelo e fazer a barba é também símbolo de comportamento e cultura. Quem passar pelo Feed Dog Brasil vai poder conferir tudo isso na Barbearia Cavalera versão pocket, que será montada na Cinemateca especialmente para o festival.

 

Festa

23 de setembro (sábado) a partir das às 21h.

Para celebrar esta primeira edição, o Festival convida a todos para uma festa na área externa da Cinemateca. Ao som do DJ Boss In Drama.

 

DJs Convidados:

20/09 – Quarta – Abertura (convidados)

19h às 20h30/22h às 23h – Marina Dias – Foyer Sala BNDES

 

23/09 – Sábado

16h às 20h – Erika Martins – Área Externa

21h30 às 23h – Festa Boss In Drama – Área Externa

 

24/09 – Domingo

16h às 18h – Benjamin Ferreira – Área Externa

18h às 20h – Luísa Viscardi – Área Externa

Mais informações podem ser acessadas no website do festival: www.feeddog.com.br

e na fanpage oficial do evento – facebook.com/feeddogbrasil

Serviço:

FEED DOG BRASIL – FESTIVAL INTERNACIONAL DE DOCUMENTÁRIOS DE MODA

de 21 a 27 de setembro

Abertura: 20 de setembro – para convidados

Local: Cinemateca Brasileira

Largo Sen. Raul Cardoso, 207 – Vila Clementino

Entrada Gratuita

A programação está incrível e ainda a entrada é franca, então se você curte moda, se joga no Feed Dog Brasil. Parabéns aos envolvidos.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *