Brechó é opção sustentável e cheia de estilo para looks únicos

Dia 22 de abril é comemorado o Dia da Terra para conscientizar as pessoas sobre a importância de cuidarmos melhor do nosso planeta antes que consigamos acabar com ele e com a vida humana.

Cuidar do planeta é responsabilidade de todos nós e deveria algo ser natural termos ações diárias que amenizem nosso impacto no planeta, mas infelizmente ainda não é. E não basta apenas economizar água e energia elétrica, plantar algumas árvores e continuar consumindo muito além do necessário de tudo que é produto incluindo roupas, calçados, acessórios.

Quando falamos em moda sustentável uma das ações mais simples e efetivas é reduzir o consumo de produtos que poluem demais o meio ambiente e comprar roupas de segunda mão, ou seja, em brechós ou de amigas, enfim, roupas em bom estado, mas que já foram usadas por outra pessoa. Sou suspeita pois amo brechó.

Na Europa e Estados Unidos fazer compras em brechó faz parte da cultura. No Brasil o conceito começa a mudar, mas ainda engatinha. Brasileiro costuma achar que usar uma roupa usada por outra pessoa pode trazer energias ruins já que não se sabe a origem da peça e quem usou. Mas as roupas são higienizadas antes de serem colocadas a venda.

Alguns brechós bacanas investem em roupas seminovas e de marcas conhecidas tanto nacionais como internacionais atraindo um público descolado que valoriza a possibilidade de criar looks únicos gastando pouco e contribuindo com a sustentabilidade ao adquirir uma peça que já estava em circulação ao invés de uma peça nova.

Em Santos, eu adoro o Outra Dona – inclusive usei look completo deles no lançamento do blog, em janeiro – e recomendo para quem inclusive quer se aventurar comprando pela primeira vez em um brechó. As donas são mega atenciosas e o atendimento é top 10, rola inclusive uma rápida consultoria de imagem na hora da compra com dicas incríveis.

Em São Paulo tem o Pagu 2nd Hand Shop que fica numa charmosa vila na Rua Oscar Freire é uma loja de roupas femininas que atua somente com peças atuais de designers e marcas de moda mais badaladas, sejam nacionais e internacionais. A loja conta com um acervo de mais de 5 mil peças, todas originais e em excelente estado de conservação, pois passam por um minucioso trabalho de curadoria das sócias, que sabem que entre suas clientes estão mulheres ligadas ao universo da moda que desenvolveram um estilo próprio.

Além de blusas, casacos, calças e vestidos, a Pagu também trabalha com bolsas e acessórios de marcas como Gucci, Marc Jacobs, Prada e Burberry. “A cultura do brechó vem crescendo no Brasil porque as pessoas estão descobrindo que os benefícios vão além do preço mais em conta. Estamos falando da possibilidade de montar looks únicos”, diz Claudia.
Adquirir peças de brechó também é uma atitude sustentável. Uma peça de segunda mão – que algumas vezes nem foi usada – já passou por todo o processo de confecção, ou seja, a cadeia produtiva já foi impactada. “Temos coisas muito boas que são dispensadas, então também ajudamos a diminuir o impacto ambiental. Também não incentivamos  o trabalho escravo nessa produção em alta escala de novas peças.”, diz Daniela.
Criada em 2013 da paixão das proprietárias Daniela Ricci e Claudia Durante por brechós e pela ideia do reuso, a Pagu vem se firmando como opção para quem busca estilo sem pagar muito. “Somos um país que nunca passou por uma guerra, então não estamos habituados a questão do reaproveitamento. Mas acho que os brechós vieram para ficar e o brasileiro vai acabar se acostumando”, conclui Daniela.
Pagu 2nd hand shop
Rua Oscar Freire, 129 – casa 03
11.30620386
Estacionamento no local
CC Visa, Diners e Mastercard
Horário de funcionamento: Seg à Sexta das 11 às 18hs e Sábados das 11 às 17hs
Facebook: @Pagu Instagram: @pagu2handshop
Outra Dona
Fica a dica!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *